Nessa quinta-feira, 25 de julho, foi feita a entrega da peça Florão do Arco Cruzeiro ao Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Mariana, na Região Centro-Sul de Minas Gerais. A peça, que pode ter sido esculpida no século XVIII, estava sendo vendida em um site de leilões na internet e foi recuperada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

O trabalho de recuperação do Florão do Arco Cruzeiro foi realizado pela Coordenadoria das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, em conjunto com a Promotoria de Justiça de Piranga. As investigações tiveram início em fevereiro deste ano, depois que o MPMG recebeu uma representação sobre a suposta venda da peça pela internet.


Após contato com o detentor da peça, acertou-se a sua devolução, mediante assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Segundo o MPMG, por suas características e dimensões, o objeto possui indícios de pertencer a culto coletivo e fazer parte do Regime Monárquico e do Padroado.

Embora tenha sido anunciado como de autoria do Mestre Piranga e oriundo da Antiga Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Piranga, a origem e a procedência do Florão do Arco Cruzeiro ainda serão apuradas.