Acordo firmado pelo MPMG possibilita exposição de acervo arqueológico do Museu de História Natural da UFMG

O Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais (MHNJB/UFMG) inaugurou hoje, 18 de dezembro, a exposição Diversidade em contextos arqueológicos indígenas de Minas Gerais ao longo dos últimos 14 mil anos. O projeto é fruto de acordo judicial celebrado entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Anglo Ferrous Minas-Rio Mineração S.A.

No acordo judicial, firmado em outubro de 2012, ficou acertado que a empresa deveria custear projeto de curadoria e conservação dos acervos de arqueologia, paleontologia e geologia do MHNJB/UFMG, como forma de compensar danos ao patrimônio arqueológico em área de implantação do empreendimento minerário.

A medida compensatória possibilitou a reestruturação das reservas técnicas do museu –  vestígios arqueobotânicos, faunísticos, de restos humanos (sepultamentos) e materiais inorgânicos (lítico e cerâmico) –, além de possibilitar a curadoria e a manutenção de suas coleções arqueológicas.

Com a verba destinada ao projeto, o museu também implantou uma área expositiva para acervos arqueológicos, dando origem à exposição aberta hoje. Segundo a coordenadora estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, promotora de Justiça Giselle Ribeiro de Oliveira, esta exposição representa importante resgate da nossa história e permite à comunidade acadêmica e à sociedade em geral acesso ao conhecimento sobre a presença do homem no estado e no mundo, realizando um trabalho de educação cientificamente embasado.

Foi produzido ainda um banco de dados aberto para consultas científicas sobre o acervo do MHNJB.