Estação Mariano Procópio2016-11-23T13:15:28+00:00
[two_fifth last=”no” spacing=”yes” center_content=”no” hide_on_mobile=”no” background_color=”” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” background_position=”left top” hover_type=”none” link=”” border_position=”all” border_size=”0px” border_color=”” border_style=”” padding=”” margin_top=”” margin_bottom=”” animation_type=”” animation_direction=”” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” class=”” id=””]

Estação Mariano Procópio

A Estação Mariano Procópio foi inaugurada em 1876, contudo com o nome de Estação de Rio Novo. O nome atual foi em homenagem ao Comendador Mariano Procópio Ferreira Lage, diretor da Estrada de Ferro Dom Pedro II no ano 1870 e responsável pela construção da estrada União e Indústria, que ligava Petrópolis a Juiz de Fora, em 1861.
O reconhecimento do valor cultural do bem veio com o seu tombamento pelo Município – Decreto nº 6601/1999.
Contudo, o bem necessitava de intervenções, haja vista o mau estado de conservação em que se encontrava.
O acordo entre o Ministério Público Estadual e o Município de Juiz de Fora, visando à restauração do imóvel e sua destinação para fins socioculturais, se deu na data de 14/05/2009. Em 05 de julho de 2012, a antiga estação foi inaugurada e destinada à sede do Centro Cultural Dnar Rocha, que, de acordo com informações “atende crianças e jovens, de 06 a 22 anos através da realização de oficinas de música (flauta doce, violão, percussão), dança (Dança Contemporânea, Balet Clássico, Hip Hop, Dança Urbana e Jazz), teatro e capoeira, complementadas por palestras, vivências, parcerias e intercâmbios culturais.

[/two_fifth][three_fifth last=”yes” spacing=”yes” center_content=”no” hide_on_mobile=”no” background_color=”” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” background_position=”left top” hover_type=”none” link=”” border_position=”all” border_size=”0px” border_color=”” border_style=”” padding=”” margin_top=”” margin_bottom=”” animation_type=”” animation_direction=”” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” class=”” id=””][images picture_size=”auto” hover_type=”none” autoplay=”no” columns=”1″ column_spacing=”13″ scroll_items=”” show_nav=”yes” mouse_scroll=”no” border=”yes” lightbox=”yes” class=”” id=””][image link=”” linktarget=”_self” image=”http://patrimoniocultural.blog.br/wp-content/uploads/2016/08/Mariano-Procópio-antes-reforma.jpg” alt=””][image link=”” linktarget=”_self” image=”http://patrimoniocultural.blog.br/wp-content/uploads/2016/08/Mariano-Procópio-antes-da-reforma-2.jpg” alt=””][image link=”” linktarget=”_self” image=”http://patrimoniocultural.blog.br/wp-content/uploads/2016/08/Mariano-Procópio-reformada.jpg” alt=””][image link=”” linktarget=”_self” image=”http://patrimoniocultural.blog.br/wp-content/uploads/2016/08/Mariano-Procópio-depois-da-reforma-3.jpg” alt=””][/images][/three_fifth]